autora do blog

autora  do blog
Utilidade publica

Sobre o blog

FALANDO UM POUCO DE TUDO.
DOS SONHOS, A REALIDADES, COM GRAÇA.
+ ATUALIDADES
MODA.
SAÚDE
CURIOSIDADES
NOTICIAS ATUAIS
UTILIDADE PULICA

sábado, 25 de junho de 2016

Atingidos por lama de barragem escolhem área para reconstrução de seus imóveis

ão oito famílias da comunidade de Gesteira, em Barra Longa, que tiveram suas casas destruídas em vazamento da Barragem de Fundão, da Samarco. Moradores do lugarejo vão escolher local em que será erguida nova igreja.

As famílias da comunidade de Gesteira, em Barra Longa, na Zona da Mata de Minas, que tiveram suas casas destruídas pela lama da Barragem de Fundão, elegem neste sábado onde serão reconstruídos seus imóveis. Moradores do vilarejo também vão definir onde será erguida igreja, salão paroquial e campo de futebol, que também foram atingidos rejeitos do reservatório, que rompeu em 5 de novembro último, em Mariana, na Região Central, matando 19 pessoas.

Assim como ocorreu com os desabrigados do subdistrito de Bento Rodrigues, que pertence a Mariana, moradores de Gesteira visitaram os terrenos e receberam cartilhas com informações sobre qualidade do solo, água, geologia, vegetação, cavidades e outras características. A mineradora Samarco, responsável pela barragem, identificou duas áreas, denominadas de Macacos (com 7 hectares) e Sr. Clércio (1,1 hectares), que ficam próximas à quadra central do distrito, atendendo a pedido da comunidade.

A votação ocorrerá em duas etapas. Na primeira, as oito famílias que perderam suas casas irão escolher o terreno para reconstrução dos imóveis. Na sequência, a comunidade, em conjunto, define o local onde serão reconstruídos os equipamentos públicos. 

O processo de reconstrução em Gesteira faz parte do acordo assinado pela Samarco, seus acionistas (Vale e BHP Billiton), os governos Federal, dos estados de Minas Gerais e do Espírito Santo, além de órgãos governamentais federais e estaduais, que prevê a criação de uma fundação de direito privado que ficará responsável pela implantação de 41 programas de recuperação socioambiental e socioeconômica dos danos causados pelo rompimento da barragem.