autora do blog

autora  do blog
Utilidade publica

Sobre o blog

FALANDO UM POUCO DE TUDO.
DOS SONHOS, A REALIDADES, COM GRAÇA.
+ ATUALIDADES
MODA.
SAÚDE
CURIOSIDADES
NOTICIAS ATUAIS
UTILIDADE PULICA

sábado, 25 de junho de 2016

Preconceito: Mãe recebe notificação de coordenadora para cortar os cabelos crespos dos filhos

Sem acreditar no que leu, Débora Figueiredo decidiu publicar uma foto do recado e a postagem teve mais de 1,22 mil compartilhamentos em cinco dias.

Reprodução/Facebook
 A família carioca formada por Débora Figueiredo e seus dois filhos, Antônio e Benício, tem como característica os volumosos e crespos cabelos. Para a surpresa da mãe, a orientadora pedagógica da escola onde os dois pequenos estudam, no Rio de Janeiro, não achou adequada a estética das crianças para frequentar as aulas. 
Débora recebeu a notificação por meio de um recado: "Mamãe Débora, peço-lhe se possível aparar ou trançar o cabelinho dos meninos. Eles são lindos, mais (sic) eu ficaria mais feliz com o cabelo deles mais baixo ou preso”, escreveu a coordenadora. 
Indignada com o preconceito que ela e os filhos sofreram, Débora decidiu tornar o recado público no Facebook. Logo, a postagem recebeu vários comentários de apoio à família, além dos 1,22 mil compartilhamentos em cinco dias. Junto com a foto do bilhete, a mãe das crianças fez o seguinte desabafo:
 
 “Como eu gostaria que meus filhos não passassem por nenhum tipo de preconceito. Como eu gostaria de protegê-los desse mundo cruel. Como eu gostaria de afastar gente ruim travestido de bonzinhos antes que eles tivessem o desprazer de ter contato. Meus filhos Antônio e Benício foram vítimas de preconceito por causa do cabelo deles. Recebi essa mensagem na agenda escrita pela coordenadora da escola que até então tinha meu respeito. Daqui em diante [já não mais]. Eu não posso protegê-los de tudo, mas sempre vou lutar por eles.”
Entre os comentários recebidos, muitos questionaram a posição da funcionária da escola e se mostraram revoltados: "Desde quando felicidade depende de um cabelo?", escreveu Robertta Costa. A mãe respondeu a maioria dos comentários, inclusive aqueles que sugeriam que ela processasse a orientadora: "É um caso a se pensar", disse Débora, também na rede social.